NOTÍCIAS

Cervejas artesanais ampliam mercado e lançam selo de qualidade do produto

29/08/2018 Fonte: Megacidade

Clique aqui para ler a matéria direto da fonte.

Bruno Parreiras, da Küd, conta que foram investidos R$ 2 milhões no ano passado para ampliar a capacidade de produção de 17 mil para 30 mil litros neste ano

Após cair no gosto do consumidor, a cerveja artesanal ganha cada dia mais espaço no mercado mineiro.De dezembro do ano passado a agosto deste ano, o volume de empresas no Estado saltou de 49 para 90 estabelecimentos, o que representa uma expansão de 83,67%, garantindo uma produção de 2 milhões de litros da bebida por mês.

Para garantir a ampliação desse mercado, o Sindicato da Indústria de Cerveja e Bebidas em Geral de Minas Gerais (Sindbebidas-MG) vai lançar, com apoio da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e do Sebrae Minas, o selo de origem “Cervejas de Minas - Livres por Tradição”.

A exemplo de outros segmentos, como o da cachaça de qualidade, esse selo deve possibilitar maior garantia do produto para o consumidor final, além da ampliar a visibilidade das marcas em outros estados e assegurar maior valor agregado ao à ‘loura’.

O lançamento desse diferencial em Minas ocorrerá durante o 6º Festival Internacional de Cervejas - Mondial De La Biere, que será realizado no Rio de Janeiro, entre os dias 5 e 9 de setembro, com apoio do Sebrae Minas e da Fiemg.

Investimentos

Terceiro maior polo produtor de cerveja artesanal, perdendo apenas para São Paulo e o Rio Grande do Sul, Minas tem conseguido também garantir novos investimentos no setor.

É o caso da Cervejaria Küd, criada em 2010 em Nova Lima, que investiu R$ 2 milhões no ano passado para ampliar a capacidade de produção de 17 mil litros para 30 mil litros neste ano.

De acordo com o diretor administrativo da empresa, Bruno Parreiras, 70% da produção é consumida no Estado, mas as vendas são feitas também para São Paulo, Rio de Janeiro e algumas cidades do Nordeste. Ele avalia que, como o consumidor do produto busca novidades, o selo pode ser um diferencial para ampliar as vendas.

A fábrica fica no Jardim Canadá, em Nova Lima. Premiada dentro e fora do Brasil, a Küd aposta em produtos premium e no fortalecimento da marca.

Já a Loba, fabricada em Santana dos Montes, na região central Estado, também se prepara para dobrar a atual produção de 60 mil litros até o final do ano. Segundo o mestre cervejeiro Kelvin Azevedo de Figueiredo foi adquirida uma engarrafadora que envasa quase 2 mil garrafas por hora.

“Em diversos países do mundo, faz parte do passeio dos turistas degustar a cerveja local. Há bares que já estão oferecendo as cervejas artesanais e outros têm marca própria, o que demonstra que não há volta para essa tendência. A ideia da artesanal é foco na qualidade e em produtos e receitas que têm identidade própria”, enfatizou.

Figueiredo conta que a empresa é a única a usar um lúpulo plantado e colhido no Estado, a 30 quilômetros da fábrica. “Fizemos a cerveja Mantiqueira Bier, que é um marco para o setor”, comemora.

Empreendedores apostam em sofisticação para atrair clientela

O brasileiro consome em média 60,4 litros de cerveja por ano e 5,69 litros por mês, segundo dados da pesquisa realizada pela Cuponation, a partir de dados de consumo de bebidas do grupo japonês Kirin Holdings, em 26 países. O levantamento mostra ainda que o desembolso chega também a 14% dos salários mensais.

De olho nesse crescimento do consumo, as cervejarias artesanais mineiras têm apostado em novos sabores, cores, ingredientes e embalagens mais sofisticadas para atrair os consumidores.

“Os consumidores que migram para as cervejas artesanais querem experimentar sempre produtos novos. Outro diferencial é que, pelas características do produto, é possível fazer a harmonização com cardápios variados”, enfatizou o superintendente do Sindbebidas-MG, Cristiano Lamego.

No período de 4 a 6 de outubro, a entidade vai promover a Ocktoberfest de cervejas artesanais mineiras, com 44 empresas confirmadas, para divulgar os rótulos do Estado.

Prêmios

A paixão pela cerveja se traduz em prêmios para as artesanais mineiras. Bastante conhecida e premiada dentro e fora do Brasil, a mineira Backer, que comemora 20 anos de atividades em 2018, acaba de receber quatro medalhas no World Beer Awards 2018, como Melhor Strong Porter do Brasil, com a sua “Bravo”, Melhor Sour Ale do Brasil, com a “Reserva do Proprietário”, além de medalha de ouro para a “Fargo 46” e de prata para a “Corleone”.

A diretora de Marketing da Cervejaria, Paula Lebbos, disse que as bebidas premiadas foram lançadas há menos de um ano. Atualmente, são 25 rótulos dos quais 23 envasados. A produção na fábrica, que fica em Nova Lima e compõe o Complexo Cervejeiro, deve atingir a capacidade máxima de 800 mil litros neste ano, com previsão de crescimento de 20% a 25% para o exercício.

“Quem experimenta a cerveja artesanal afina o paladar. Quando um consumidor migra, passa a degustar e procura novos rótulos. Oferecemos produtos elaborados que ficam maior tempo no tanque, com estilos e sabores variados. Em Minas, o nosso produto já faz parte do dia a dia das pessoas que querem apreciar produtos de qualidade e compartilhar experiências com família e amigos”, comentou.

Custo do produto pode ter redução para o consumidor final

As cervejarias artesanais mineiras podem reduzir o valor do produto para o consumidor final. Com a adesão das empresas ao Simples Nacional, houve uma redução de até 70% a carga tributária do setor, o que já incentivou inclusive o registro de empreendimentos que nasceram no fundo do quintal.

Para fomentar o crescimento do setor, Sindbebidas-MG pretende lançar também uma central coletiva de negócios, que, de acordo com o presidente da entidade,Cristiano Lamego, vai possibilitar aos empresários fazer compras em maior quantidade e com preços mais competitivos de insumos e matérias primas. “Muitos insumos que as cervejarias usam são importados. Essa iniciativa vai ajudar as empresas a reduzir os custos de produção”, projetou.

Padaria

Outro projeto do setor é a instalação de uma padaria comunitária em Nova Lima, para a fabricação de pão de malte, que será feito a partir do bagaço do malte doado pelas cervejarias.“Com esse projeto, todo mundo sai ganhando. A associação comunitária ganha, a cervejaria resolve um problema ambiental de forma correta (o descarte do babaço do malte). O consumidor terá a possibilidade de conhecer mais um produto saboroso”, enfatizou.

Outra iniciativa para dar visibilidade para as cervejarias artesanais é o incentivo à participação das empresas em prêmios nacionais e internacionais. “A qualidade do nosso produto já é conhecida no mundo todo”, disse.

Por Luciana Sampaio Moreira - hojeemdia

Leia também

USE AS TAGS #MONDIALDELABIÈRERIO E #MONDIALDELABIÈRERIOEUVOU E COMPARTILHE SEU AMOR POR CERVEJAS ARTESANAIS.

Informações, Dúvidas e SAC:
+55 21 97659-9761
Atendimento: 10h às 20h
Endereço:
Av. Salvador Allende, 6.555
Barra da Tijuca – 22783-127

FAGGA EVENTOS – CNPJ 05.494.572/0001-98