NOTÍCIAS

Mondial de La Bière: a festa das artesanais

18/10/2016 Fonte: Malteesmalte /Online

Clique aqui para ler a matéria direto da fonte.

No último sábado (15) o Malte & Esmalte marcou presença na 4ª edição do Mondial de La Bière Rio, no Píer Mauá, para avaliar os diversos lançamentos e as novas cervejarias que estão chegando com força no mercado.

Gostamos muito do evento em si. O cartão de débito funcionou muito bem, diversas opções de alimentação, banheiros e o fato de serem três armazéns este ano, ao invés de dois, ajudou a não criar muita muvuca nos estandes.

Aquele selfie zuada da gente com o painel do Kobra

A qualidade das cervejas também chamou a atenção. Demos prioridade para os 12 rótulos premiados com Medalha de Ouro no Festival, mas também degustamos rótulos de microcervejarias que ainda estão dando seus primeiros passos.

Confira abaixo os detalhes das cervejas medalhistas que experimentamos:

Wäls Niobium

Trata-se de uma Imperial Double IPA, com 9,0% de graduação alcoólica e 93 IBU. Coloração avermelhada, espuma cremosa e aroma acentuado de maracujá. Lúpulos contidos na receita: Polaris, Saaz, Cascade e Galaxy.

Wäls Dubbel

Cerveja do estilo Belgian Strong Ale Dubbel, de aparência castanha escura, espuma densa e duradoura. Aroma de frutas secas com notas de especiarias e maltes especiais. Paladar com persistência do torrado, levemente picante e bastante seca. Refermentado na garrafa com 7,5 % de álcool e 26 IBU.

Wäls Cuvée Carneiro

A Wäls Cuvée Carneiro é uma cerveja do estilo Wood Aged Beer com três anos de maturação em barris de cachaça mineira. Apresenta aroma de frutas vermelhas maduras em harmonia com suaves notas de envelhecimento, amadeirado e toffee. Possui um sabor marcante com perceptível aquecimento alcoólico e toques picantes. Tem 11,0% de graduação alcoólica e 35 IBU.

Noi Cioccolato

Receita do artista plástico e cervejeiro Cazé Napier, a Noi Ciocollato é uma Russian Imperial Stout feita com adição de nibs de cacau para intensificar ainda mais o seu caráter de malte torrado, que remete a café e chocolate. Uma cerveja encorpada, de cor escura, sabores e aromas intensos, com generosa espuma bege. Uma das melhores do seu estilo feitas no Brasil. Tem 12,0% de graduação alcoólica.

The Craft Hopi

A Hopi é uma Imperial IPA produzida cervejaria carioca The Craft, projeto do Mestre Cervejeiro Leonardo Botto, com 10,0% de graduação alcoólica e 77 IBU.

OverHop Hazy

Trata-se de uma New England IPA com 6,5% de teor alcoólico e 55 IBU. A OverHop é uma cervejaria cigana carioca. A produção desse estilo específico, no qual as cervejas têm visual mais turvo, IBU mais baixo, frutado aparente e um corpo mais cremoso e suave, é restrito ao nordeste dos EUA, numa região chamada New England, onde as cervejarias mantêm a produção e distribuição apenas para o mercado local. Algo que a OverHop está tentando mudar, pois a levedura usada para a receita piloto foi propagada pela Bio4, em Curitiba, e poderá ser comercializada em breve para o mercado brasileiro.

OverHop DarkHop

É a Black IPA da OverHop, com 7% de teor alcoólico e 80 IBU.

Bodebrown Cacau Wee

A Cacau Wee foi desenvolvida como uma das variações da primeira cerveja da Bodebrown, a Wee Heavy. Ela é composta por sete tipos de maltes, levedura escocesa e adições generosas de cacau brasileiro (pedaços da semente do Cacau com tosta controlada) proveniente de fazendas na cidade de lhéus, Bahia. Após alguns estudos, experiências e viagens sensoriais sobre nossa Wee Heavy, criamos a “Wee Heavy com Cacau”, a união da Escócia com um pouco da Bahia, que a principio batizamos de Brazilian Cacau Ale.

ZalaZ PaZion

A ZalaZ é uma microcervejaria artesanal encravada na Serra da Mantiqueira. Está situada dentro da Fazenda Santa Terezinha, uma fazenda orgânica produtora de cafés especiais, suinocultura e derivados, além de outras culturas orgânicas. Tudo isso de uma maneira integrada e sustentável.

A PaZion é uma American Wheat, cerveja de trigo do estilo americano, suave e refrescante, perfeita para acompanhar pratos leves e dias ensolarados. Leva em sua composição maracujá orgânico cultivado nos pomares da fazenda.

#TBT

Esse rótulo é uma colaborativa entre as cervejarias 2cabeças e 3Cariocas, feita especialmente para o evento Repense Cerveja, realizado no mês passado na Casa da Glória, no Rio de Janeiro (aqui tem o nosso post sobre o evento). Trata-se de uma Imperial Stout com muita aveia e malte tostado. Amargor equilibrado com o dulçor do malte, o que minimiza o alto teor alcóolico. 9,0% ABV e 60 IBUs.

Three Monkeys India White Ale

A Three Monkeys India White Ale traz o melhor de dois estilos bem distintos. A refrescância de uma Belgian Wit e a potência lupulada de uma American IPA. Possui aromas frutados cítricos provenientes do lúpulo e da casca de laranja. Uma incrível espuma branca, cremosa e persistente coroa esse encontro entre a tradição da escola belga e a criatividade americana, resultando em uma cerveja leve, refrescante, mas de personalidade.

Motim Canudos

Cerveja do estilo Saison, leve e refrescante, com 6,2% de graduação alcoólica.

Serra Verde Mafia New York

Cerveja da Serra Verde Imperial, produzida por niteroienses em Nova Friburgo. Trata-se de uma American Lager com dry hop de Citra.

Jeffrey Park

Logo na entrada do evento nos deparamos com o Jeffrey Park, o estande montado pela cervejaria carioca Jeffrey inspirado em um parque de diversões. Além de escorregas, piscina de bolinhas, fliperama, martelo de força, entre outras atrações, o estande contou com muitas novidades cervejeiras.

Destacamos a cerveja elaborada em parceria com o Chef Checho Gonzales. Trata-se de uma Dry Stout para cariocas, com um aroma especial e surpreendente com um paladar muito leve e refrescante. Com 4,0% de teor alcóolico, é uma cerveja cremosa, de baixo amargor, aroma temperado e fácil de beber. Ingredientes especiais: cravo, kümmel, cardamomo, semente de mostarda, semente de coentro e gengibre. Uma delícia!

Sustentabilidade

Outro destaque dessa edição do evento, em nossa opinião, foi a Organa, da Cervejaria Mohave. É uma Belgian Blond Ale produzida exclusivamente com maltes orgânicos. Teve sua lupulagem tradicional substituída por uma americana, proporcionando um sabor único, leve e aromático. Organa foi criada a partir da experiência da Cervejaria Mohave e é um produto licenciado do Vale das Palmeiras, do ator Marcos Palmeiras, que é referência em produtos orgânicos no Rio de Janeiro. O teor alcóolico é de 5,8%.

Etc. Etc. Etc.

Da Laje – A cervejaria que produz a Hija de Punta e a PIVA lançou dois novos rótulos no evento: a Kátia Flávia, uma American IPA, e a Santa Abóbra, uma Pumpkin Ale feita em colaboração com a Marmota Brewery. Excelentes pedidas!

Casca Grossa – Essa cerveja da Tatu Beer é uma IPA com melado de cana passado pelo filtro com flor de lúpulo. Também experimentamos a Apneia, uma saborosa Golden Ale com casca de laranja.

TIANASTÁCIA – Cerveja artesanal tipo Golden Ale com sabor encorpado, frutado e com amargor médio. Elaborada com levedura típica e maltes especiais nobres. Produzida pelos mineiros da Krug Bier. 4,9% de teor alcoólico.

Deep Red – Lançamento da Cervejaria Oceânica. Trata-se de uma English Barley Wine com melado de cana (10,5% de teor alcoólico e 60 IBU). É a primeira receita de uma série experimental chamada Oceânica Experience e, exclusivamente para o Mondial, foi disponibilizada também em uma versão maturada em barril de carvalho americano virgem.

Malandro Batuqueiro – É uma Irish Red Ale da Cervejaria Velha Guarda.

Therezinha – Experimentamos a IPA dessa microcervejaria de Petrópolis. O estande dela ficou no final do último armazém, bem escondido.

A lua cheia foi ótima companhia na noite

Leia também

USE AS TAGS #MONDIALDELABIÈRERIO E #MONDIALDELABIÈRERIOEUVOU E COMPARTILHE SEU AMOR POR CERVEJAS ARTESANAIS.

Informações, Dúvidas e SAC:
+55 21 2441-9100
Atendimento: 9h às 19h
Endereço:
Av. Salvador Allende, 6.555
Barra da Tijuca – 22783-127