NOTÍCIAS

Produção de cerveja do RJ mostra sua força no Mondial de La Bière

12/10/2016 Fonte: G1 /Online

Clique aqui para ler a matéria direto da fonte.

Três das cinco cervejas que a Overhop levará para o Pier Mauá

Em sua quarta edição, o Mondial de la Bière, mais importante evento de cervejas artesanais e premium das Américas, abre as portas nesta quarta-feira (12) e se firma como uma plataforma de lançamento da produção local: dos 130 expositores inscritos este ano, 55 são do estado do Rio – o número é 600% maior que o da primeira edição, em 2013, quando havia apenas oito marcas do estado.

Mais do que mostrar o crescimento do mercado de cervejas especiais, o número revela que muitos novos rótulos estão surgindo a partir da curiosidade de apreciadores da bebida, que resolvem se aventurar na criação das próprias receitas. É o caso de três das marcas estreantes deste ano, a Overhop, a Angels&Devils e a Aqueles Caras.

Criada há apenas dois meses pelos sócios Rodrigo Baruffaldi, de 36 anos, Flávio Baruffaldi, de 31, e Rodrigo Barroso, também de 36, a Overhop chega ao Pier Mauá com cinco rótulos, dois deles inéditos: a imperial IPA One Love, com teor alcoólico de inebriantes 9%, e a Hazy, uma New England IPA, estilo ainda pouco explorado no Brasil e que se refere à região Nordeste dos Estados Unidos, conhecida como Nova Inglaterra.

Rodrigo, que começou a fazer cerveja em casa há três anos, conta que a maior motivação vem da possibilidade de experimentar estilos e sabores diferentes sem depender dos grandes fabricantes.

"Comecei quando um amigo me deu uma apostila sobre o tema. Estudei e comecei a fazer também. Logo meu irmão e o Barroso, meu melhor amigo, se juntaram a mim e a brincadeira começou a ficar séria", diz ele, que inicialmente apresentou as cervejas em bares especializados: "Até hoje fomos sempre bem avaliados, isso nos deu força para expandir a produção".

Jogando tudo para o alto

Sócio da Aqueles Caras, outra estreante, Christian dos Santos, de 33 anos, apostou na fabricação própria no fim de 2015 e vai levar três cervejas para o Pier Mauá, uma delas inédita.

"Comecei depois de largar meu emprego numa multinacional. Literalmente mandei tudo à 'pqp' e resolvi me divertir", conta Christian, que usou o palavrão para batizar sua primeira criação, uma APA.

Para ele, que usa as instalações de duas fábricas, em Angra dos Reis, Sul Fluminense, e em Belo Horizonte (MG), o grande número de expositores locais no evento é reflexo de um mercado ainda em maturação (sem trocadilho).

"É fato que algumas dessas marcas não vão resistir por muito tempo, mas isso é uma característica da economia brasileira, com uma alta taxa de mortalidade entre micro e pequenas empresas. Mas há espaço para esses e muitos outros fabricantes, já que se trata de um mercado com muito potencial", analisa.

Toque feminino

A vontade de beber algo diferente também move as amigas Mônica Mendonça, 39 anos, Daniela Medeiros, 31, e Priscila França, 32, que montaram este ano uma pequena fábrica de cerveja no primeiro andar da casa de Mônica, em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio.

"Minha experiência profissional também ajudou, já que trabalhei por muitos anos para grandes cervejarias nacionais, sempre na área de automação, o que me deu uma base quando resolvemos montar a fábrica", explica ela, que é engenheira eletricista.

Além de abrir o espaço para outros fabricantes, elas apostaram na criação de uma marca própria, a Angels&Devils, que estará no Mondial com a red IPA Scarlet e a witbier MaryAngel. Ambas já são fabricadas desde o fim de agosto, mas terão seus rótulos lançados no evento.

"Há cerca de três anos começamos a fazer nossas cervejas, e quando resolvemos transformar prazer em negócio decidimos que teríamos nossa marca e produtos próprios. Não queria ser apenas um espaço para outras ciganas", diz Mônica, referindo-se às marcas que alugam espaço em fábricas para produzir - a própria Overhop é uma delas. "Temos lista de espera de gente querendo usar nossa fábrica".

Três mulheres produzindo cerveja? Mônica diz que a pergunta é recorrente, pois boa parte do público consumidor ainda acha que fábrica é coisa de homem. "E fazemos questão de mostrar que não é, tanto que tocamos a nossa sozinhas e estamos muito bem, obrigado", brinca ela, acrescentando que o "toque feminino" pode ser encontrado na arrumação meticulosa da cervejaria.

Outras estreias e cerveja comemorativa

Também fazem sua estreia no evento deste ano as marcas fluminenses 4 Estações, Carangos Beer, Cazzera, Oceânica, Cidade Imperial, Beer Now e Bella Craft Beer. Além delas, o Mondial terá outra novidade, que é o lançamento da 'Cerveja das Montanhas - Primavera 2016', criada especialmente para o evento pelos fabricantes - entre elas as estreantes Cazzera e Cidade Imperial - que integram a chamada Rota Cervejeira do estado, na Região Serrana.

Leia também

USE AS TAGS #MONDIALDELABIÈRERIO E #MONDIALDELABIÈRERIOEUVOU E COMPARTILHE SEU AMOR POR CERVEJAS ARTESANAIS.

Informações, Dúvidas e SAC:
+55 21 99113-1852
Atendimento: 9h às 19h
Endereço:
Av. Salvador Allende, 6.555
Barra da Tijuca – 22783-127